Anotação de título de especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Você também pode conhecer este serviço como: registrar especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho e averbar título de Engenharia de Segurança do Trabalho

 

O que é?

É a anotação que indica que o arquiteto e urbanista possui especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho e que o habilita a atuar nas atividades privativas dessa área.

 

Quem pode utilizar este serviço?

Arquitetos e urbanistas e que concluíram a especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho ou que obtiveram o registro de Engenharia de Segurança do Trabalho, expedido pelo Ministério do Trabalho e Emprego, dentro do prazo previsto pelo Decreto nº 92.530/1986.

 

Quais os documentos ou dados necessários?

  • Certificado de conclusão de curso de especialização, em nível de pós-graduação, em Engenharia de Segurança do Trabalho, e histórico escolar do curso; ou 
  • Certificado de curso de especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho, realizado em caráter prioritário pelo Ministério do Trabalho e Emprego, e histórico escolar do curso; ou 
  • Registro de Engenharia de Segurança do Trabalho, expedido pelo Ministério do Trabalho e Emprego, dentro de 180 (cento e oitenta) dias da extinção do referido curso.

 

Quais as etapas para a realização deste serviço?

1. Cadastrar protocolo no ambiente profissional do SICCAU – Sistema de Informação e Comunicação do CAU (servicos.caubr.gov.br), por meio do menu:

  • PROTOCOLO>CADASTRAR PROTOCOLO
  • GRUPO DE ASSUNTO>CADASTRO PROFISSIONAL
  • ASSUNTO>INCLUSÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO – ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

2. A solicitação será analisada pelo CAU do estado (ou do DF). Caso falte algum documento, o CAU irá solicitar ao arquiteto e urbanista. Depois que estiver tudo certo, será anotado o título e o profissional será informado por e-mail ou protocolo.

 

Quanto tempo leva?

Aproximadamente 180 dias.

 

ATENÇÃO!

A contagem do prazo somente terá início a partir da instrução do requerimento, isto é, quando apresentar toda a documentação e atender aos requisitos da Resolução.

A instrução/análise obedece a ordem cronológica de chegada do documento – veracidade e, depende da demanda de processos.

Caso haja diligências, efetuadas pelo CAU/UF à IES/interessado, isso acarretará o sobrestamento do processo e a suspensão da contagem do prazo, até que haja cumprimento de todas as exigências identificadas pela instância competente dentro dos prazos estabelecidos na notificação.

A contagem do prazo estará suspensa após instrução até a fase de distribuição do processo para relatoria e apresentação do Relatório à Comissão.

 

O que acontece se o pedido for INDEFERIDO?

No caso de indeferimento o interessado será comunicado e poderá apresentar recurso no prazo de 10 dias, podendo ser prorrogado a pedido do requerente. Caso o interessado não entre com recurso o processo será arquivado, podendo ser reaberto há qualquer tempo mediante solicitação e apresentação de documentos que contemplem as informações não detectadas e que motivaram o indeferimento.

 

Como apresentar recurso e quais são os trâmites após sua apresentação?

O RECURSO deve ser interposto por meio de requerimento dirigido à Presidência ou à Comissão competente, que prolatou a decisão, no qual o recorrente deverá expor os fundamentos do pedido, podendo juntar os documentos que julgar convenientes – (Manifestação Jurídica 030/2019JUR CAU/SP).

 

O processo administrativo, cuja manifestação foi tempestiva será tramitado à Comissão Permanente que trata de Ensino e Formação no CAU/UF que indicará Conselheiro Relator para relatoria e voto e, posterior apresentação a CEF/SP para deliberação da Comissão. Caberá a CEF CAU/SP decidir se reconsiderará ou não a decisão recorrida. (itens 11 a 14, Manifestação Jurídica 133/2020/JUR CAU/SP).

 

Assim, no caso de apresentação de recurso, o Relator irá opinar pela reconsideração ou não, da Deliberação da CEF-CAU/SP.

 

No caso de não reconsiderar sua decisão, o processo deverá ser encaminhado para julgamento pelo Plenário do CAU/SP, ocasião em que será nomeado Conselheiro Relator pelo Presidente, que apresentará relatório e voto fundamentado a ser debatido e votado pelo Plenário, o qual poderá ou não acompanhar seu voto, nos termos do art. 66 e seguintes do Regimento Interno do CAU/SP.

 

Para elaboração de relatório e voto fundamentado, o Conselheiro Relator poderá instruir o processo, solicitando parecer técnico, jurídico ou ambos, diligências e ainda, apoio de consultoria externa, por intermédio da Presidência, caso assim entenda necessário, conforme §2º do artigo 66 do Regimento Interno.

 

Manual da Área de Serviços – Tutorial:

https://servicos.caubr.gov.br/helpdesk/lib/exe/fetch.php/tut_especializacao_em_seguranca_do_trabalho_r00.pdf

 

Legislação relacionada

Resolução CAU/BR nº 162/2018;

DPOBR nº 101.05/2020;

Decreto nº 92.530/1986;

Lei nº 7.410/1985;

Parecer CFE/SESU nº 19/1987;

Lei nº 12.378/2010;

Deliberação CEF CAU/BR nº 009/2021.

 

Serviços correlatos

Registro profissional provisório de diplomado no Brasil

Registro profissional definitivo de diplomado no Brasil

Registro profissional provisório e definitivo importado pela IES

Registro temporário de profissional diplomado no exterior

Registro definitivo de profissional diplomado no exterior

Emissão de primeira via de carteira de identificação profissional

Emissão de segunda via de carteira de identificação profissional

 

Para entrar em contato com o CAU/SP, clique aqui.